quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Projeto: Biblioteca Municipal de Goiânia

A razão pela qual desenvolvi este projeto, que foi o meu Trabalho Final de Graduação (na Universidade Estadual de Goiás), se deu no fato de Goiânia carecer não só de bibliotecas de qualidade, mas de edifícios de interesse público que busquem potencializar a própria cidade.

*clique na imagem para vê-la maior

  Biblioteca Municipal de Goiânia.


Biblioteca vista da praça.

Muitos questionam se realmente seria viável edificar uma grande biblioteca, já que muita gente, a cada dia que passa, está deixando o hábito da leitura de lado. O fato é que realmente seria inútil construir tal edificação se ela exercesse a velha e conhecida função de depositar livros.

Hoje, as bibliotecas evoluíram para centros mais complexos, onde eventos culturais e sócio-educativos suplementam as suas atividades existentes e os novos meios de comunicação e informação estão incorporados. Um exemplo disso é que podemos ver no caso da Midiateca de Sendai (Japão), onde a informática e o cinema enriquecem o seu acervo.


 Vídeo sobre a  Midiateca de Sendai (Japão)

Goiânia não foge de uma realidade assim, já que a internet e os meios super dinâmicos de comunicação estão nas pontas dos dedos dos cidadãos. Assim, uma biblioteca atualizada e sincronizada e com essas novas necessidades justificam a sua inserção, tornando-a um pólo de interesse para as pessoas.

Meios super dinâmicos de comunicação. (Fonte: bbc.co.uk)

Desta forma, a nova Biblioteca Municipal de Goiânia foi concebida para abrigar um acervo estimado de 250.000 volumes, abrangendo livros, periódicos, discos, vídeos, jogos, fotos, mapas, relíqueas, etc.

O seu espaço físico é constituído também por biblioteca infantil, salas de exposições para mostras artísticas e audiovisuais, internet e multimeios, espaços para mini-cursos e aulas preparatórias (para concursos ou vestibulares), educação ambiental, programas de inclusão digital e social, lojas (souvenirs, livrarias) e um café. Além de contar com os ambientes que dão todo o suporte técnico (administração, restauro e catalogação, salas de leitura, estacionamento subterrâneo, etc.).

 Planta do pavimento térreo, que possui acessos à biblioteca, salas de exposição, 
espaço infantil, lojas, café e parte do setor técnico-administrativo.

Planta do terceiro pavimento, que conta com espaços para informática, 
salas de inclusão digital, acervo bibliográfico e parte do setor técnico administrativo.


Detalhe construtivo de brise e estrutura.

Uma grande praça rodeia a biblioteca, permitindo que nela aconteçam outros eventos que necessitem do espaço externo, desde campanhas, exposições, workshops, etc. Para isso, o paisagismo foi estudado de modo que possa dar estrutura a estes eventos e que também inspire uma monumentalidade ao edifício.

 As árvores compõem o paisagismo da praça que rodeia 
a biblioteca, oferecendo sombreamento e conforto.

 A entrada da biblioteca garante integração entre a frente e o fundo do terreno, 
o edifício não é uma barreira para isso.

 Croquis para o estudo da praça.

A localização da biblioteca se dá na região central da cidade, ao lado do Parque Mutirama e próxima do plano original (para quem não sabe, Goiânia é uma cidade que foi planejada pelo urbanista Attílio Correa Lima, na década de 30). O local é bastante estratégico, pois está próximo de universidades, de um parque infantil e da Rodoviária. Assim a biblioteca fica no objetivo de atrair o turista, as crianças e os jovens, que muito necessitam de aprender.

Mapa esquematizando a localização do terreno 
onde a biblioteca estará inserida.

Pensando na escala urbana, a biblioteca faz parte de um conjunto de intervenções visando à melhoria da região na qual ela está implantada, que atualmente possui vários lotes subutilizados. Estas mudanças abrangem a requalificação do Parque Mutirama, da praça do Trabalhador e na imposição de novas diretrizes para o uso de solo das quadras vizinhas.

Diretrizes de intervenção urbana adotas qualificar os usos 
do entorno da Biblioteca Municipal de Goiânia.

Parte Posterior da Biblioteca que conta com espaço 
para peças teatrais e exposições.


Portanto, a Biblioteca Municipal de Goiânia vem no intuito de valorizar o circuito cultural da cidade (que tem muito potencial e que deve ser mais explorado), melhorar a qualidade fisica-espacial de seu entorno e principalmente edificar um lugar que denote a inovação e o futuro aos cidadãos, não vinculando apenas a simples idéia de arquivar coisas.


Dados do projeto:

Localização: Av. Indepência, esquina com a Av. Contorno, Setor Central, Goiânia - GO.
Área construída: cerca de 16.000m²;
Acervo: em torno de 250.000 volumes;
Número de pavimentos: ao todo 6 pavimentos mais subsolo;

Autor: Murilo Noleto Gomes
Orientador: Profº Fernando A. O. Mello

Universidade Estadual de Goiás, ano 2008.

4 comentários :

  1. Olá
    Excelente projeto este seu, estais de parabens.
    Essas imagens foram feitas no arquicad? foi renderizada a onde?

    ResponderExcluir
  2. Olá Isamel, fico feliz que tenha gostado da Biblioteca, obrigado.
    Quando desenvolvi este projeto eu ainda não utilizava o ArchiCAD, ele foi todo feito em CAD e a maquete foi elaborada no Sketch Up.
    As imagens foram criadas no Sketch UP cru, sem o uso de motores de renderização.

    ResponderExcluir
  3. Olá Murilo.. adorei o projeto da biblioteca!
    Eu estou com uma duvida.. eu vi que a biblioteca tem alguns brises.. como eu faço para adquiri-los no Archicad?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thiago, obrigado pelo elogio.

      No ArchiCAD você tem brises. Procure nas definições de Objetos pela pastinha (biblioteca) chamada "Unidades Solares". Lá você tem brises (painéis) com parâmetros que lhe permite configurar tamanho do lambris, inclinação, além de rotacionar o conjunto (para deixar o brise em pé, por exemplo). Dê uma investigada.

      Se você tiver o ArchiCAD 16, também é possível fazer brises com qualquer formato através do Morph.

      Até logo!

      Excluir